domingo, 7 de junho de 2015

Resenha: A Noite Devorou o Mundo

Olá, faz um tempo que não posto aqui devido uns contra tempos que tive com trabalho e faculdade, mas já estou de volta! Tentarei postar com mais frequência e colocar minhas leituras em dia.
Para a resenha de hoje escolhi um livro que vi como indicação em um canal do YouTube que sigo, o LiterarioCuzcuz: A Noite Devorou o Mundo.
A Noite Devorou O Mundo

Tenho que confessar que sou meio suspeita ao falar sobre o livro, pois eu adoro livros sobre a temática: apocalipse zumbi, mas antes de dar minha opinião, vou transcrever a sinopse do livro:
Neste inusitado romance de terror e de zumbis, o francês Martin Page, autor do bestseller Como me tornei estúpido, faz uma fábula sobre a sociedade de consumo, sob o pseudônimo de Pit Agarmen. No livro, uma epidemia assola o planeta e transforma os humanos em seres demoníacos, selvagens e cruéis. Antoine Verney é um sobrevivente, mas não tem nada de herói. Como um Robinson Crusoé moderno, ele tem que aprender a sobreviver e a enfrentar a solidão. 
O livro, como se pode perceber, não é como um livro de zumbis que normalmente encontramos por ai, e por isso já ganhou muitos pontos comigo, pois Martin Page trás o apocalipse na visão de um cara normal, sem habilidades nenhuma que se vê obrigado a sobreviver nesse novo mundo.


Após passar a noite em uma festa no apartamento de uma amiga o protagonista e narrador da história acorda na manhã seguinte completamente sozinho em meio a marcas de sangue e corpos sem vida dos convidados. Após um momento de choque ele compreende que uma epidemia se devastou e transformou grande parte da população de Paris em zumbis.
Após isso acompanhamos o narrador em sua luta para não perder a lucidez, contra seu medo de sair do apartamento e contra a solidão, seja criando padrões e rotinas, seja atirando em zumbis ou inventando histórias; até finalmente ele encontrar outro sobrevivente.

Eu particularmente achei sensacional a história, a sua dinâmica é em formato de diário e o o que mais gostei dessa história foi o seu diferencial se comparado a outros livros da mesma temática, normalmente vemos histórias de zumbis em que o personagem é o herói, sai por ai desbravando o desconhecido, matando zumbis em busca de mais pessoas e de um local seguro. Nessa história é totalmente o contrário, o protagonista se vê em um local seguro, não tem coragem para sair do apartamento (e as únicas vezes que saiu foram desastrosas ou foi para procurar suprimentos) e é desprovido de qualquer habilidade, eu me identifiquei muito com o personagem, e muitas vezes pude compreender e sentir o desespero de ficar em um apartamento completamente sozinho sem nenhuma comunicação. Esse foi um livro ao qual eu achei que mais se aproxima da realidade caso aconteça um apocalipse zumbi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Suas impressões valem muito pra nós.
Volte sempre! ;)